Gustavo garante autorização do Senado para empréstimo do Banco Andino para Aparecida

Gustavo garante autorização do Senado para empréstimo do Banco Andino para Aparecida

Prefeito diz que recurso, no valor de aproximadamente R$ 135 milhões será utilizado para obras de asfalto e infraestrutura no município.
A Prefeitura está viabilizando a contratação de financiamento para obras de infraestrutura urbana e tecnológica na cidade. A autorização de empréstimo no valor de US$ 35 milhões – equivalente a quase R$ 135 milhões junto o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) foi aprovada pelo Senado Federal nesta quarta-feira, 2, e será destinado para a execução do Programa de Reestruturação Viária da Bacia do Ribeirão Santo Antônio.

O crédito contemplará obras de implantação e pavimentação asfáltica de eixos estruturantes e de vias residenciais, a construção de pontes e bueiros para interligar bairros, como também o desenvolvimento de estudos visando o planejamento urbano de Aparecida. Os recursos de contrapartida serão próprios do Município, previstos em orçamento, e serão liberados ao longo da execução do Programa.

“Com o recurso vamos levar benefícios para regiões diferentes de Aparecida e proporcionar melhor qualidade de vida para população com obras de mobilidade urbana. Dentre os benefícios está a duplicação e pavimentação da Avenida Santana, dando acesso ao prédio da UFG, na região Leste e pavimentação de diversos bairros. Ambos são compromissos do meu plano de governo”, afirmou o prefeito Gustavo Mendanha.

O senador por Goiás, Luiz do Carmo (MDB) comemorou a aprovação da liberação do empréstimo para Aparecida. “Aprovamos em plenário do Senado o empréstimo de 35 milhões de dólares para Aparecida de Goiânia. Eu sei que o Gustavo vai empregar o dinheiro do melhor jeito e que a população da cidade seja beneficiada com esse recurso”, afirmou o parlamentar.

O secretário municipal da Fazenda, André Rosa, explica como é a participação do governo federal. “O financiamento externo é uma modalidade de empréstimo em que o Governo Federal atua como avalista e o município planeja os investimentos e sua execução”. Segundo ele, o empréstimo só foi possível com validação da União porque o município tem honrado os prazos e pagamentos de empréstimos realizados em outras gestões.

O secretário ainda acrescenta que a instituição financeira foi a que mais apresentou condições que se ajustam aos interesses da administração pública municipal. “Depois de avaliar propostas financeiras ofertadas pelas instituições, a Prefeitura de Aparecida concluiu que, tendo em vista os objetivos a serem alcançados com a execução do projeto, a Corporação Andina foi a instituição que apresentou itens e condições que mais se ajustavam aos interesses da nossa cidade”, finalizou.

Obras

A Secretaria da Fazenda de Aparecida afirma que os projetos a serem executados com os recursos do empréstimo já estão prontos, e a contratação já está em processo licitatório e marcada para acontecer ainda neste mês. A execução do Programa de Reestruturação Viária da Bacia do Ribeirão Santo Antônio, dentre suas etapas, contempla a construção de duas pontes, sendo elas entre os Bairros Campos Elísios com Jardim Florença sobre o Córrego Santo Antônio, e a ponte de interligação entre os bairros Veiga Jardim com Terra Prometida sobre o córrego Poções, na Avenida Francisco Veiga Jardim.

Consta ainda do projeto a pavimentação de mais de 20 quilômetros de vias em quatro Eixos Estruturais. O componente de pavimentação residencial consiste na implantação de aproximadamente 300.000 m² de asfalto e restauração de aproximadamente 83.158,98 m² de pavimentos em ruas já pavimentadas. Na implantação deste componente, está prevista a utilização de recursos do financiamento pleiteado ao Banco Andino.

O custo de implantação está estimado em aproximadamente R$ 11,5 milhões, a serem desembolsados ao longo dos quatro anos da implantação do Programa. O projeto ainda irá contemplar a construção de um bueiro em concreto armado, de cerca de 36 metros de comprimento, fazendo interligação Polo Empresarial com o Residencial Agenor Modesto, na Avenida C-7.

O programa conta ainda com a elaboração de estudos complementares, gestão ambiental, supervisão das obras ambiental, social e de segurança viária, auditoria externa, e o apoio à Unidade de Gerenciamento do Programa – UGP para a coordenação do Programa.

Deixe um comentário

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.