Governo Lula leva institutos federais para as áreas mais carentes do país

Governo Lula leva institutos federais para as áreas mais carentes do país

Presidente participou no sábado (29), às 10h, do lançamento da pedra fundamental de extensões na Cidade Tiradentes da Universidade Federal (Unifesp) e do Instituto Federal (IFSP).

Carapicuíba, Franco da Rocha, Cotia e Jardim Ângela estão entre as 100 localidades do Brasil que receberão institutos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) dá início neste sábado (29) a um dos programas mais importantes de seu terceiro mandato, que é levar institutos federais para estudantes das periferias do Brasil. Ele participa do lançamento da pedra fundamental do campus Cidade Tiradentes do Instituto Federal de São Paulo (IFSP). E do campus Zona Leste da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O evento, a partir das 10h, no Instituto das Cidades, contará com a presença do ministro da Educação, Camilo Santana.

O evento formaliza a futura extensão da Unifesp para um distrito distante 35 quilômetros do centro da capital, que abriga o maior complexo de conjuntos habitacionais da América Latina. São cerca de 40 mil unidades, a maioria delas, construídas na década de 1980 principalmente pela Cohab e CDHU. A população é 211.501 mil habitantes, com uma das maiores taxas de crescimento da cidade, e que enfrenta graves problemas sociais.

 

Localizada a 35 quilômetros do centro da capital, Cidade Tiradentes tem grande taxa de crescimento populacional

Outras localidades igualmente carentes de investimentos também terão unidades da rede federal de ensino superior e tecnológico. Nesta quarta-feira (26), em entrevista ao Uol, o presidente Lula disse que deverá participar também – mas não citou datas – do lançamento da pedra fundamental de institutos no Jardim Ângela, zona sul da capital. E também outras localidades da Região Metropolitana, como Osasco, Carapicuíba, Cotia, Franco da Rocha, Mauá e Diadema.

Institutos federais pelo Brasil
Em março, o Ministério da Educação (MEC) anunciou recursos da ordem de R$ 3,9 bilhões por meio do Novo PAC para a construção de 100 institutos federais em todos os estados até o final do atual mandato.

De acordo com o Ministério da Educação, R$ 2,5 bilhões serão aplicados na construção de novas unidades. E R$ 1,4 bilhão na reforma e construção de ginásio, refeitório e outras instalações em institutos já existentes.

A rede atual de Institutos Federais conta com 682 unidades, com pouco mais de 1,5 milhão de alunos. A estimativa do governo é abrir mais 140 mil vagas com a construção das novas unidades. O Nordeste receberá 38 novos institutos. E por estados, São Paulo, que é o mais populoso, receberá 12. Já Bahia e Minas Gerais receberão 8 novos.

Confira os novos institutos:

Nordeste (38)

Bahia (8)
Itabuna, Macaúbas, Poções, Remanso, Ribeira do Pombal, Ruy Barbosa, Salvador e Santo Estevão

Ceará (6)
Campos Sales, Cascavel; Fortaleza, Lavras de Mangabeira e Mauriti

Pernambuco (6)
Águas Belas, Araripina, Bezerros, Goiana, Recife, Santa Cruz do Capibaribe

Maranhão (4)
Amarante do Maranhão, Balsas, Chapadinha, Colinas

Paraíba (3)
Mamanguape e Sapé e Queimadas

Alagoas (3)
Girau do Ponciano, Mata Grande, Maceió

Piauí (3)
Barras, Esperantina e Altos

Rio Grande do Norte (3)
Touros, São Miguel e Umarizal

Sergipe (2)
Japaratuba e Aracaju

Sul (13)

Paraná (5)
Maringá, Araucária, Cianorte, Cambé e Toledo

Rio Grande do Sul (5)
Caçapava do Sul, São Luiz Gonzaga, São Leopoldo, Porto Alegre e Gramado

Santa Catarina (3)
Tijucas, Campos Novos e Mafra

Sudeste (27)

São Paulo (12)
São Paulo (Jardim Ângela e Cidade Tiradentes), Osasco, Santos, Diadema, Ribeirão Preto, Sumaré, Franco da Rocha, Cotia, Carapicuíba, São Vicente e Mauá

Minas Gerais (8)
João Monlevade, Itajubá, Sete Lagoas, Caratinga, São João Nepomuceno, Belo Horizonte, Minas Novas e Bom Despacho

Rio de Janeiro (6)
Rio de Janeiro (Cidade de Deus e Complexo do Alemão), Magé, Belford Roxo, Teresópolis e São Gonçalo

Espírito Santo (1)
Muniz Freire

Norte (12)

Pará (5)
Barcarena, Redenção, Tailândia, Alenquer e Viseu

Amazonas (2)
Santo Antônio do Içá e Manicoré

Rondônia (1)
Butiritis

Tocantins (1)
Tocantinópolis

Acre (1)
Feijó

Amapá (1)
Tartarugalzinho

Roraima (1)
Rorainópolis

Centro-Oeste (10)

Goiás (3)
Cavalcante, Porangatu e Quirinópolis

Mato Grosso (3)
Água Boa, Colniza e Canarana

Distrito Federal (2)
Sol Nascente e Sobradinho

Mato Grosso do Sul (2)
Paranaíba e Amambaí.

Fonte: RBA – Redação: Cida de Oliveira – Edição: Helder Lima