Goiás pode ter a chapa ZéLu: Zé Éliton governador e Lula presidente

Goiás pode ter a chapa ZéLu: Zé Éliton governador e Lula presidente

Setores do PT admitem aliança com o PSB apoiando Zé Éliton para governador e Wolmir Amado como candidato a vice

Aumentam as chances de que emplaque em Goiás a chapa Zé Eliton (PSB), governador e Lula (PT), presidente. Seria a chapa “ZéLu”, que se assemelha, em muitos aspectos à eleição de 2002, quando foi criado o LuMa – Movimento Lula presidente e Marconi governador. Naquele pleito Marconi Perillo estava no seu primeiro governo, indo para reeleição bem atrás nas pesquisas em relação a Maguito Vilela (PMDB).. O LuMa reposicionou a campanha de Marconi que manteve os votos ao centro e a direita e avançou à esquerda, vencendo aquele pleito no primeiro turno.

Em entrevista ao jornalista Caio Henrique Salgado, da Coluna Giro, do jornal O Popular, o deputado federal Rubens Otoni (PT) admitiu esta aliança, que já está consolidada nacionalmente na chapa Lula (PT) presidente, Geraldo Alckmin (PSB), vice.

“Defendo a aliança com o PSB e a candidatura de José Eliton ao governo como forma de ampliar o diálogo com segmentos que o PT têm dificuldade de chegar e, desta maneia, contribuir para elegermos Lula no primeiro turno”, justifica Otoni.

O ex-reitor da PUC-GO, Wolmir Amado, é visto como nome natural do PT para a disputa ao governo do Estado. Sua candidatura tem sido apresentada às bases petistas desde o início deste ano através dos encontros que a sigla promove em todas as regiões do Estado, porém, a direção nacional da legenda tem orientado os dirigentes estaduais do partido a buscar formas de ampliar o leque de aliança do ex-presidente Lula. É neste contexto que dirigentes, vereadores e deputados petistas admitem uma composição, onde Wolmir Amado seja indicado como candidato a vice-governador.

Desde que se filiou ao PSB o ex-governador José Éliton defendeu o apoio à candidatura de Lula, tendo inclusive se encontrado com o ex-presidente e o ex-governador Geraldo Alckmin, em São Paulo, para reforçar seu apoio.

Há também outro fator que pode agregar mais valor a esta aliança com José Eliton, que é a possibilidade de que o PSDB de Goiás se junte a esta composição. Após a desistência do ex-governador João Dória de disputar a presidência, há uma divisão entre os tucanos, uma parte já se posiciona em favor do apoio a Lula já no primeiro turno, outra ala, quer aliança com o MDB, tendo a senadora Simone Tebet (MDB-MS) como candidata a presidente. Em Goiás, no entanto, esta aliança não propera, uma vez que o MDB é aliado do governador Ronaldo Caiado (UB), adversário de primeira hora de Zé Éliton e do ex-governador Marconi Perillo (PSDB). Em entrevista às páginas amarelas da Revista Veja, Fernando Haddad (PT),  ex-prefeito de São Paulo – e atual líder na corrida pelo Palácio dos Bandeirantes –, defendeu a aliança entre PSDB e PT para eleição de Lula. Ele salienta que a união de todos os democratas é necessária para evitar o retrocesso e o perigo autoritário que representam a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) e o seu flerte constante com setores que querem a volta da ditadura militar