Colégio Visão demite professor de sociologia após crítica de "influencer" bolsonarista e alunos protestam contra censura na escola

Colégio Visão demite professor de sociologia após crítica de "influencer" bolsonarista e alunos protestam contra censura na escola

O Colégio Visão, no Setor Bueno, especializado na preparação para o Enem e Sisu, demitiu o professor de Sociologia Osvaldo Machado, após o “influencer” bolsonarista Gustavo Gayer criticar o professor nas suas redes sociais. Osvaldo Machado utilizou uma charge do desenhista André Dahmer, numa prova de recuperação.

A tirinha de Dahmer representa um personagem lendo jornal onde se lê: “Mais um assalto em São Paulo, ainda bem que temos a politica para combater a violência em prol da barbárie”, remetendo aos casos de violência policial”.

O professor, então questiona os alunos na prova: Qual elemento do Estado está sendo retratado na tira abaixo:
Na sua postagem Gustavo Gayer diz que a prova proposta pelo professor se trata de doutirnação ideológica.
Ao jornal O Popular, o professor disse que “a tritinha trata do uso legítimo da força pelo Estado”, esta é a resposta. pE o contrário do que ele penssa e vai de encontro com o que ele deseja”, ressalta o professor. “Eu jamais diria numa sala de aula que os alunos devem amar os bandidos e odiar os policiais”, completou Machado, salientando que”só uso as tirinhas de André Dahmer para que os alunos possam ter informação sobre a sociedade em que estamos vivendo”.

Protesto
Nesta quarta-feira alunos do Visão fizeram protestos contra o que entendem como censura. Cartazes foram espalhados na escola com dizeres:
“Vergonha de estudar aqui “
“Vai censurar quantos mais?”
“Vai nos calar também”?
“A injustiça num lugar qualquer é uma ameaça à Justiça em todo lugar”
“Não é mimimi É Justiça!!! Ciências Humanas não é ideologia política”!
“#Censuranão”

O próprio André Dahmer, que tem quase 600 mil seguidores no seu twitter, protestou:

O colégio Visão não sabe, mas meu trabalho aparece com frequência em concursos públicos e vestibulares. Em 2011, um dos meus quadrinhos foi tema de redação do ENEM: https://g1.globo.com/educacao/noticia/2011/10/nao-sei-se-tiraria-dez-diz-autor-de-quadrinho-usado-na-redacao-do-enem.html

Alunos mandaram emails ao Visão questionando a censura da escola:

Venho por meio dessa evidenciar meu total descontentamento com o desligamento do professor Osvaldo do quadro de professores do Colégio Visão SEB. É importante destacar que Osvaldo é um dos melhores professores de sua área, fundamental para o sucesso de nós, alunos. Em todas as aulas, Osvaldo sempre promoveu o respeito, a disciplina e o debate, respeitando e acolhendo todos os posicionamentos. Ademais, é válido ressaltar que Gustavo Gayer, responsável pela veiculação de um vídeo que resultou na demissão de Osvaldo, foi mencionado na CPI da Covid, acusado de receber 40 mil reais para divulgar “fake news” sobre a Covid-19, além de receber destaque nacional após hostilizar enfermeiros que homenageavam vítimas do coronavírus. Diante disso, eu, cliente de Grupo SEB, deixo clara minha total insatisfação com a decisão de demissão do professor, e peço a reavaliação da decisão, haja vista o entendimento coletivo dos alunos de que Osvaldo estava apenas cumprindo seu trabalho, ato que faz com que excelência, sendo indispensável para a formação de cidadãos conscientes, atentos e participativos para a construção de uma sociedade melhor e, também, para o aprendizado necessário para a aprovação.
Sem mais para o momento, espero que meu pedido seja atendido.

A reportagem do jornal O Popular procurou o colégio Visão, que respondeu o seguinte:

“A escola possui um Código de Conduta que veda manifestações políticas, partidárias ou ideológicas em ambiente escolar. A direção do Colégio mantém um canal de diálogo aberto com alunos e familiares, sempre pautando suas ações no Código de Conduta”.