Aparecida 100 anos, o melhor ainda está por vir

Aparecida 100 anos, o melhor ainda está por vir

De 11/05/1922 a 11/05/2022 um século se passou na cidade que mais cresceu em Goiás no século XX e é a que mais se moderniza neste século XXI

Marcus Vinícius de Faria Felipe

O  dia 11 de maio de 1922 marca a data de fundação de Aparecida de Goiânia, uma cidade fundada na fé e no pioneirismo daqueles que escolheram estas terras para criar suas famílias e empreender seus negócios.

O primeiro passo foi a construção de uma Igreja em louvor à Nossa Senhora Aparecida pelos fazendeiros José Cândido de Queirós, Abrão Lourenço de Carvalho, Antônio Barbosa Sandoval, João Batista de Toledo e Aristides Frutuoso. Estas famílias que doaram quatro alqueires de terras para que ali fosse erguida no dia 11 de maio de 1929 a igreja que deu início ao povoado que hoje é a segunda maior cidade de Goiás com cerca de 600 mil habitantes.

Praça da Matriz, década de 1930 | Foto: Nilda Simone/Acervo
Foto do arquivo de Nilda Simone mostra carros de boi passando ao lado da Igreja Matriz de Aparecida na década de 1930

O Jornal Onze de Maio também se insere nesta história. Fundado também num 11 de maio de 2003 este periódico que nasceu como um tabloide semanal no formato germânico, com 16 páginas, circulou com 25 mil exemplares por edição entre 2003 e 2016, quando foi escolhida a plataforma digital.

Neste período o Onze de Maio passou por reformas no designer gráfico, lançou seu aplicativo em 2019 disponível para Android e Iphone, e chega ao centenário com uma nova página na internet, com tipologia e layout que facilitam a leitura e com acesso mais rápido para os usuários.

Nestes últimos 19 anos acompanhamos de perto o desenvolvimento de Aparecida de Goiânia e testemunhamos a contribuição de cada cidadão, cada empresário e de cada vereador e prefeito com o seu desenvolvimento e também fizemos as nossas contribuições.

O Onze de Maio doou a primeira Galeria de Prefeitos, que foi montada na antiga sede da prefeitura, com desenhos feitos pelo chargista José Almir de Andrade, que registrou os fundadores da cidade, o primeiro prefeito eleito, Tanner de Melo, (1966 a 1969) até a reeleição do prefeito Maguito Vilela (2005-2012), quando a galeria foi trocada com charges feitas pelo desenhista Amaury Menezes, por ocasião da transferência para o Paço Municipal.

Também foi através de campanha do Onze de Maio que foi impedida a destruição da casa do pioneiro José Cândido de Queirós, quando esta foi adquirida pelas Casas Bahia.

O jornal também tem atuado na divulgação dos valores locais, seja na cultura, esporte, empreendedorismo, política, educação e ciências.

Aparecida de Goiânia  tem fila de empresas querendo se instalar na cidade
Pólo Industrial Goiás

Terra de líderes populares

Criada por gente simples, honesta e ordeira, Aparecida de Goiânia não perdeu a característica eleger lideranças de origem popular tanto para o Executivo e o Legislativo municipais.

Ademir Menezes, que governou entre 1997 até 2004 era filho de pedreiro, foi frentista de posto e legou com a sua gestão o Pólo Industrial Goiás, um dos principais distritos industriais de Goiás.

Veio José Macedo, filho de migrantes nordestinos, açougueiro consolidou os pólos e iniciou a construção dos primeiros eixos estruturantes da cidade.

No registro feito pela Câmara de Aparecida, os saudosos vereadores Geraldo Padeiro (à esquerda, de bigode) e João Antônio (à direita, de cadeira de rodas), tendo ao centro o prefeito José Macedo e o vice-governador Ademir Menezes

Vilmar Mariano, que assumiu o legado dos prefeitos Maguito Vilela e Gustavo Mendanha (2016-2022) mantém este padrão:  Iniciou sua vida pública em 1998 como líder comunitário no Jardim Alto Paraíso depois foi assessor parlamentar do então vereador José Macedo.

Vilmarzinho, como é carinhosamente conhecido, foi eleito vereador por três mandatos consecutivos nos pleitos de 2001 a 2004, de 2005 a 2008 e de 2009 a 2012. Assumiu em 2013 o cargo de secretário de Esporte e Lazer na primeira gestão de Gustavo Mendanha (2013-2016), até ser indicado candidato a vice-prefeito na chapa vitoriosa de Mendanha em 2020, para assumir neste ano do Centenário os destinos de Aparecida de Goiânia.

Político experiente, Vilmar Mariano tomou posse com apoio da Câmara Municipal, representa pelo seu presidente André Fortaleza

Aparecida no centro do debate político de Goiás

Gustavo Mendanha, que deixou a prefeitura para concorrer ao governo do Estado, honra a memória dos pioneiros e a de todos aparecidenses ao colocar o seu nome para o escrutínio dos goianos nestas eleições.

Leo Mendanha ao lado do prefeito Iris Rezende na convenção do PMDB de 2012 que escolheu Gustavo Mendanha para compor a chapa como vice de Maguito Vilela

Primeiro prefeito nascido em Aparecida, seguiu os passos do pai, Liosmar Mendanha, o saudoso Leo Mendanha, que começou em Aparecida como comerciante e corretor de imóveis, foi eleito vereador (1989-1992), deputado por dois mandatos (1994 e 1998) e constituiu-se como habilidoso estrategista político, convencendo o ex-governador Maguito Vilela a transferir para Aparecida de Goiânia seu domicílio eleitoral, possibilitando a construção de uma candidatura a prefeito que foi vitoriosa em 2008 e 2012 e que garantiu a eleição de Gustavo Mendanha em 2016 como sucessor do legado de Maguito no município.

Em 2006 o ex-prefeito Ademir Menezes emprestou seu nome para compor a vice do governador Alcides Rodrigues numa campanha vencedora, que garantiu uma gestão que trouxe depois muitos benefícios para Aparecida.

Campanha de Gustavo recebe  apoio de dois ex-governadores
Gustavo Mendanha ao lado do ex-governador Agenor Rezende, e a frente o ex-governador Alcides Rodrigues na convenção do Patriotas

Neste pleito de 2022, Gustavo Mendanha também terá ao seu lado o apoio do ex-governador Alcides Rodrigues e de uma plêiade de vereadores, prefeitos, deputados e lideranças políticas de todo o Estado, entre elas o também ex-govenador Agenor Resende, que sucedeu Iris Rezende no governo de Goiás em 1994, quando este foi candidato ao Senado, garantindo sua eleição e a do seu companheiro de chapa, Mauro Miranda, e a do jovem governador Maguito Vilela.

Prefeito Iris Rezende e prefeito Gustavo Mendanha em 2020

Homenagem aos ex-prefeitos

Aparecida de Goiânia chega madura politicamente aos seus 100 anos. Infelizmente alguns nomes que contribuíram para sua consolidação e desenvolvimento não estão mais entre nós, como o ex-prefeito Iris Rezende, que quando era deputado estadual, foi o responsável – juntamente com o deputado estadual Olinto Meirelles -, pela lei que garantiu a emancipação do município.

Norberto Teixeira, então deputado federal pelo PMDB, discursa ao lado do
prefeito Ademir Menezes sendo ladeado pelo governador Marconi Perillo

Também não estarão participando deste momento os ex-prefeitos Norberto Teixeira (1982-1986 e 1992-1996) e Tião Viana (1988-1992), que juntamente com Leo Mendanha agora estão no andar de cima, acompanhando felizes o progresso da cidade que ajudaram a construir.

Prefeito Sebastião Viana governou Aparecida de Goiânia de 1989 a 1992

Aparecida pronta para o século XXI

Gustavo Mendanha trouxe a modernidade do 5G, da Cidade Inteligente, dos novos eixos viários e a ousadia de colocar Aparecida de Goiânia na mesa de decisão dos destinos de Goiás. Vilmar Mariano, com sua experiência política e seus pés no chão, daqueles que conheceram a poeira e os problemas da cidade das décadas passadas está a altura de dar sequência no trabalho de seus antecessores e deixar também sua marca na história.

Projeto cidade inteligente trouxe a digitalização para vários serviços no município

Parabéns a Aparecida e aos aparecidenses por este centenário. Que Nossa Senhora Aparecida continue protegendo e abençoando os destinos desta terra, de Goiás e do Brasil.

Deixe um comentário

1 Comment

Deixe um comentário para Marcelo Mateus

O seu endereço de e-mail não será publicado.